Aonde foi parar: Géder


Cria da base do Vasco da Gama, Antônio Géder foi introduzido ao elenco principal do clube carioca em 1997. Nos anos de 1998, 1999 e 2000, conquistou espaço entre os reservas, atuando sempre que os titulares estavam suspensos ou lesionados. Com as saídas de Mauro Galvão, Júnior Baiano e Odvan, Géder se tornou titular e foi o xerifão da equipe cruzmaltina, que estava repleta de bons jogadores "prata da casa". Participou dos títulos da Libertadores 1999, Copa Mercosul 2000 e Copa João Havelange. Clubes de menor expressão da Europa se interessaram pelo promissor defensor, que acertou com o Saturn da Rússia. Fez três boas temporadas pelo clube russo, sendo um dos jogadores favoritos da torcida. Pelo seu estilo de jogar, desarmando adversários, e sua força física, ganhou o apelido de "Destroyer". Com o destaque, mudou-se para um clube maior, o Spartak Moscow. Apesar do bom início, Géder sofreu com lesões e a falta de ritmo, além do extremo frio russo. No ano de 2008, o zagueirão transferiu-se para o Le Mans, permanecendo por dois anos na França. No meio da competição da Série B de 2010, Géder foi contratado pelo Sport Recife, porém jogou apenas duas partidas e pouco contribuiu para o acesso do time pernambucano. Tentou no ano seguinte disputar o Campeonato Carioca pelo Olaria, mas ao treinar com o elenco percebeu que não reunia mais o mesmo vigor físico e a qualidade técnica, desistindo do contrato. Atualmente, Géder vive uma vida tranquila com sua família em sua cidade natal, Recreio (MG), e disputa campeonatos amadores e o Showbol pelo Vasco da Gama.

Ao lado de Djalminha, Géder jogou pelo Ribeiro Junqueira, clube do Futebol Amador de Minas Gerias

Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

0 comentários: