Top 10 Melhores Jogadores da História da Colômbia

10 - Victor Aristizábal: Maior artilheiro da História do Atlético Nacional e do futebol colombiano, com cerca de 350 gols marcados. Começou justamente na "Máquina Verde", no ano de 1989. Em 1991, conquistou seu primeiro título, o Campeonato Colombiano. Foi vendido ao Valência da Espanha em 1994, mas sem agradar, foi emprestado ao Blackburn e logo em seguida retornou ao Atlético. Em sua chegada, sagrou-se novamente campeão do Campeonato Colombiano e teve uma grande participação na Libertadores de 1995. No ano seguinte, transferiu-se para o São Paulo, onde editou boas duplas, primeiramente com Dodô e depois França. Em 1998, trocou o São Paulo pelo Santos, tendo um bom início no time ao conquistar a Copa Conmebol. Uma grave lesão no joelho afastou o craque por seis meses dos gramados, fazendo-o perder o restante do ano. Assim que se recuperou, foi barrado por Emerson Leão e consequentemente deixou o clube, acertando sua volta ao Atlético Nacional. Dando sequência a sua "peregrinção" no futebol, jogou no Deportivo Cali e no Vitória da Bahia, tendo grande destaque no Campeonato Baiano de 2002. Chegou ao Cruzeiro em 2003, onde teve a melhor fase de sua carreira. Ao lado de Alex e Deivid, brilhou no time que conquistou a tríplice coroa (Campeonato Mineiro, Copa do Brasil e Brasileirão), fazendo muitos gols e escrevendo seu nome na história da Raposa. Ainda jogou no Coritiba e novamente no seu time de coração, o Atlético Nacional, onde encerrou a carreira em 2007 e foi considerado pela maioria da torcida como o jogador mais importante da história do clube. Com a Seleção Colombiana, Victor disputou as Copas de 1994 e 1998, sem anotar gols. Seu grande momento foi a Copa América de 2001, na qual foi o campeão da competição e artilheiro com seis gols. 


9 - Iván Córdoba: Zagueiro que mostrou que a altura nem sempre é o segredo para se dar bem na posição. Com apenas 1,73m, Iván foi um zagueiro de muita qualidade, pois marcava muito bem, era veloz e tinha incríveis antcipações, inclusive levando a melhor que atacantes de 1,85 na bola aérea. Sua impulsão era fascinante, chegava perto dos 40 centímetros mesmo estando parado. Foi o autor do gol do grande título da história da Seleção Colombiana, a Copa América 2001, assim como capitão do elenco. Também integrou o grupo que disputou a Copa de 1998, e em 73 jogos pelos "los cafeteros", marcou cinco gols. O primeiro time da carreira de Córdoba foi o Deportivo Rionegro, pequeno clube de sua cidade natal. Em 1997, transferiu-se para o Atlético Nacional, ganhando grande destaque na América do Sul. Sua próxima equipe foi o San Lorenzo, onde viveu ótima fase e até marcou oito gols nos dois anos que ficou na Argentina. A Inter de Milão fez uma excelente proposta para o jogador e o time de Buenos Aires, que em acordo mútuo, resolveu vender o atleta. Defendeu o clube milanês por doze anos, conquistando quinze títulos, dentre eles a UEFA Champions League 2009/2010, o Mundial Interclubes 2010 e cinco vezes o Campeonato Italiano. Tornou-se grande ídolo da torcida da Inter, principalmente por sempre ser um jogador raçudo, profissional e dedicado. Atuou em 455 partidas pelos "Nerazzurri", sendo o décimo jogador com o maior número de presenças. Anunciou sua aposentadoria no ano de 2012.


8 - Leonel Álvarez: Um volante de muita bravura, raça e coragem. Era um "carrapato" na marcação, mas também tinha um bom passe e um chute muito forte. Foi apelidado de "Leão" pela torcida colombiana, principalmente por sua raça, mas também por sua "cabeleira" que parecia uma juba. Disputou 101 partidas por sua seleção, sendo o segundo atleta que mais vezes jogou. Esteve no grupo que chegou como um dos favoritos à Copa de 1994, mas que com "erros infantis" foi eliminada na fase de grupos. Em clubes, foi um verdadeiro andarilho, mas teve grande destaque no Independiente de Medelín, time onde iniciou e atuou em quase 200 partidas, no Valladolid, que foi sua única equipe na Europa, no Atlético Nacional, clube pelo qual conquisou uma vez o Campeonato Colombiano e uma Libertadores da América, e o New England Revolution, time dos EUA. Como treinador, Álvarez fez um ótimo trabalho no seu clube de coração, o Independiente de Medelín, sendo campeão do Campeonato Colombiano 2009. Também dirigiu a Colômbia no ano de 2011, mas com fraco desempenho foi trocado por Pekerman.


7 - Falcão García: Maior artilheiro da Seleção Colombiana, com 25 gols marcados. Filho de Radamel García, ex zagueiro, começou na base do Millonarios, contudo foi para a Argentina aos 15 anos para jogar no River Plate. Estreou no time principal em 2005, marcando muitos gols e encantando os torcedores, que apelidaram-no de "El Tigre". Seu único título foi o Campeonato Argentino em 2008. Por cerca de cinco milhões de euros, foi vendido ao Porto, onde amadureceu muito dentro e fora de campo. Coletivamente, conquistou o Campeonato Português duas vezes, uma UEFA Europa League, duas Copas e três Supercopas de Portugal. Individualmente, brilhou ao ser artilheiro da UEFA Europa League duas vezes seguidas e com sua ótima média de gols, anotando 72 gols em 87 atuações. Valorizado, trocou o Porto pelo Atlético de Madrid, equipe pela qual jogou duas temporadas e sagrou-se campeão de uma UEFA Europa League (marcando três vezes na final diante do Athletic Bilbao) e uma Copa do Rei da Espanha. Após ter seu nome "ventilado" nos maiores clubes da Europa, como Real Madrid e Bayern, surpreendeu a todos ao anunciar acerto com o novo milionário Monaco. Era artilheiro do Campeonato Francês após 23 rodadas, mas teve uma infeliz lesão no joelho meses antes da Copa de 2014, tirando-o dos gramados por quatro meses, do restante da temporada e também do Mundial. Na temporada 2014/2015, Falcão vestiu a camisa do Manchester United, mas recém recuperado da grave lesão, não conseguiu se firmar no time titular da equipe e foi emprestado ao Chelsea, onde na atual temporada tenta voltar a ser um dos melhores atacantes do mundo.


6 - René Higuita: Terceiro goleiro que mais balançou as redes na história, somando 41 gols (37 de pênalti e 4 de falta). René tinha um jeito único de jogar futebol, na qual saia jogando com dribles e passes arriscados ao repor a bola em jogo. Tinha muita habilidade e conseguia fazer "fila" as vezes, driblando e tabelando com seus companheiros até o ataque. Também cometia erros ao realizar estas jogadas, como na Copa do Mundo de 1990, onde ao tentar driblar o camaronês Roger Milla, foi desarmado e sofreu um gol. Com apenas 1,76 m, era considerado baixo para um goleiro, mas tinha muita elasticidade e impulsão, o que lhe permitia praticar grandes defesas. Atuou por muitos clubes em sua carreira, mas teve maior destaque no Atlético Nacional, onde jogou quase 200 partidas, conquistou a Libertadores de 1989 e um Campeonato Colombiano, o Real Valladolid, o único clube europeu que defendeu, e o Millonarios, seu primeiro time. Pela Seleção, Higuita disputou apenas a Copa de 1990. Não esteve na Copa de 1994, porque um ano antes foi acusado de participar de um sequestro, cumprindo pena de seis meses. Ao provar sua inocência, foi indenizado pelo governo, mas fora de forma, não foi convocado pelo treinador Francisco Maturana. Foi novamente convocado por "Los Cafeteros" após o Mundial de 1994, praticando um dos lances mais memoráveis da história do futebol, a "defesa do escorpião", em um amistoso contra a Inglaterra. René também "colecionou"polêmicas dentro e fora dos campos, como a suspensão por uso de cocaína, a amizade com o traficante Pablo Escobar, e a participação de diversos reality shows na TV colombiana.


5 - Willington Ortíz: Considerado por muitos como o melhor jogador da história de seu país, era um atacante habilidoso, raçudo e extremamente veloz. Iniciou no Millonarios, no ano de 1972. Seu primeiro jogo foi em Porto Alegre, diante do Internacional, partida na qual marcou o gol da vitória de sua equipe. Neste mesmo ano, conquistou seu primeiro título, o Campeonato Colombiano. Permaneceu no clube até 1979, vencendo outra vez o maior campeonato de futebol de seu país. Disputou mais de 300 jogos pelo Millonarios, marcando cerca de 90 gols. Atuou dois anos no Deportivo Cali, mostrando uma regularidade incrível. Seu próximo e último destino foi o América de Cali, onde Ortíz consagrou sua carreira com atuações de "gala" e conquistas. Apelidado de "o foguete", comandou a equipe que venceu quatro vezes o Campeonato Colombiano (1983/1984/1985/1986) e que chegou à três finais de Libertadores consecuivas (1985/1986/1987), mas que infelizmente perdeu as três. Teve boas atuações também pela Seleção Colombiana, principalmente nos jogos olímpicos de 1972 e na Copa América de 1975, porém neste período seu país não conseguiu se qualificar para nenhuma Copa do Mundo. Desde que se aposentou, Willington comandou equipes sub-17 na Colômbia, revelando bons jogadores. Participou de programas de televisão e reality shows da TV Colombiana, e hoje vive sossegado com sua família em Cali.


4 - Faustino Asprilla: Começou sua carreira no Cúcuta em 1988, destacando-se por sua extrema velocidade, habilidade e poder de finalização. Mudou-se para o Atlético Nacional no ano seguinte, conquistando seu primeiro título, a Libertadores. No final do ano, disputou o Mundial de Clubes, perdendo para o Milan na prorrogação. Permaneceu até 1992, sendo um dos grandes destaques do clube que também foi campeão do Campeonato Colombiano de 1991. Foi comprado pelo Parma, participando de um dos melhores momentos da história da equipe que decretou falência recentemente. Marcou 25 gols em três temporadas, tendo sua melhor fase individualmente na carreira. Ganhou uma Copa da Itália, duas Copas da UEFA e foi vice campeão da Série A. Seu próximo destino foi o Newcastle, clube pelo qual viveu altos e baixos, variando de partidas muito ruins e também hat-trick contra o Barcelona. Retornou ao Parma em 1998, não conseguindo repetir as atuações do passado. Pela parceria entre Parma, Palmeiras e Parmalat, o colombiano desembarcou em São Paulo para jogar no clube Alviverde. Atuando mais como um segundo atacante, participava mais da criação das jogadas do que das finalizações. Ficou no "Verdão" por duas temporadas e sagrou-se vencedor do Torneio Rio São-Paulo 2000 e da Copa dos Campões, foi também vice campeão da Libertadores. Ainda neste ano, defendeu o Fluminense, sem obter muito sucesso. Já veterano, rodou a América por clubes como o Atlante do México, o Atlético Nacional, Universidad de Chile e Estudiantes de la Plata. Com a Seleção Colombiana, Faustino sempre teve atuações convincentes. Disputou as Copas de 1994 e 1998, marcando vinte gols em 57 partidas.


3 - James Rodríguez: Artilheiro da Copa do Mundo de 2014 e vencedor do Prêmio Puskas, pelo gol marcado nas oitavas de final da competição, diante do Uruguai. Acredito que atualmente, o colombiano é o melhor "camisa 10" do futebol mundial, tendo como principais características a técnica, os passes e lançamentos, chutes de longa distância, finalização e força física. James iniciou cedo no futebol, começando a treinar no Envigado aos quatro anos de idade. Em 2007, quando tinha dezesseis anos, fez a sua estreia pelo time e teve uma ótima temporada, levando seu clube à primeira divisão colombiana. Foi vendido no ano seguinte para o Banfield da Argentina, onde teve atuações espetaculares e foi o craque do time na conquista do primeiro Campeonato Argentino da sua história. Em 2010, Rodríguez fez boas partidas na Libertadores da América, chamando a atenção dos grandes clubes da Europa. Ao fim da competição sul-americana, James anunciou que seu novo time seria o Porto. Jogou por três temporadas no clube português, tendo excelentes performances nas conquistas dos três Campeonatos Português que disputou, de uma UEFA Europa League, e uma Copa de Portugal. Individualmente, foi eleito melhor jogador do Campeonato Português em 2012. Junto de seu companheiro João Moutinho, tranferiu-se para o Monaco por cerca de 70 milhões de euros. Apesar de jogar apenas um ano no clube francês, fez valer seu alto investimento dentro de campo, sendo o recordista de assistências da Ligue 1 2013/2014. Após as incríveis atuações na Copa do Mundo 2014, foi contratado pelo Real Madrid, onde atualmente vem brilhando ao lado de Cristiano Ronaldo, Bale e Benzema. Pela Seleção Colombiana, James já soma doze gols, seis deles marcados na Copa do Mundo de 2014. Rodríguez tem tudo para superar os números de Valderrama e ser o maior jogador da história de seu país.


2 - Freddy Ricón: Conhecemos a forma de jogar deste grande volante aqui no Brasil, atuando por Palmeiras e Corinthians principalmente. Contudo, antes de se tornar um dos melhores atletas nesta posição, Rincón começou como um meia-atacante, quando no início de sua carreira vestiu as camisas de Tolima, independiente de Santa Fé e América de Cali. Disputando competições colombianas, Freddy conquistou uma Copa da Colômbia, quando jogava pelo Santa Fé, e duas vezes o Campeonato Colombiano, atuando pelo América, onde foi ídolo da torcida. Com os altos investimentos da Parmalat no Palmeiras, o meia se interessou em atuar no clube alviverde, acertando contrato em 1994. Após um bom Paulistão, na qual foi campeão, foi vendido ao Napoli. Fez uma ótima temporada no time italiano, marcando sete gols e participando de quase todas as partidas do time. No ano seguinte, foi contratado pelo Real Madrid. Rincón alegou sofrer com racismo de dirigentes, colegas e torcedores, além de um estilo de vida na qual não se adaptou. Após apenas catroze partidas, deixou o clube, retornando para o Palmeiras. Em 1997, trocou o "Verdão" pelo principal rival, o Corinthians. Tornou-se um dos maiores ídolos da história do Timão, sendo campeão do Brasileirão em duas oportunidades (1998 e 1999), do Paulistão 1999 e do "Mundial de Clubes da FIFA 2000", sendo também o capitão do time nesta última competição. Já veterano, jogou por Santos e Cruzeiro, fracassando. Três anos depois de anunciar sua aposentadoria, retornou aos gramados para defender novamente o Cortinhians, porém com falhas comprometedoras, foi dispensado. Com a Seleção Colombiana, Freddy teve grandes momentos, disputando as Copas de 1990, 1994 e 1998. Esteve em campo 84 vezes e marcou dezessete gols. Rincón teve algumas experiências como técnico de futebol, comandando times do interior de São Paulo e a equipe sub-20 do Corinthians, todavia não agradou. Recentemente, o ex-volante chegou a ficar alguns meses preso por associação com tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.


1 - Carlos Valderrama: Jogador de incrível visão de jogo, habilidade e proteção de bola. Grande símbolo da geração colombiana que chegou a ser credenciada como uma das favoritas para as Copas de 1990 e 1994. Também esteve na Copa do Mundo da França em 1998. É o jogador que mais vezes atuou por "Los Cafeteros", com 111 partidas e onze gols anotados. Sempre adotou uma cabeleira diferenciada, cachos vastos e loiros. Seu primeiro clube foi o pequeno Unión Magdalena. Em seguida jogou um ano pelo Millonarios e em 1985 foi para o Deportivo Cali, onde tornou-se um ídolo mesmo sem ganhar competições. Em 1988, teve sua primeira oportunidade na Europa, defendendo as cores do Montpellier da França. Valderrama brilhou no clube francês, conquistando a Copa da França de 1990 e dando uma enorme quantidade de passes para gols. Junto de seu companheiro de seleção e amigo Higuita, acertou sua transferência para o Valladolid, tendo uma temporada regular na Espanha. Em 1992 retornou à Colombia, onde atuou primeiramente pelo Independiente de Medelín e em seguida pelo Júnior de Barranquilla. Foi pelo Júnior, que Carlos obteve seus únicos títulos em seu país, vencendo o Campeonato Colombiano de 1993 e 1995. Com a criação da MLS, nos Estados Unidos, Valderrama recebeu boas propostas e aceitou jogar no Tampa Bay Mutiny, sendo o primeiro campeão da competição em 1996. Venerado pelo povo norte americano pelos seus "espetáculos" com a bola nos pés, permaneceu jogando no país até o final de sua carreira em 2004.


Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

2 comentários: