Aonde foi parar: Afonso Alves


A grande surpresa da convocação para a Copa América 2007, ao contrário do que muitos pensaram na época, fez muito por merecer chegar até a Seleção Brasileira. Afonso nasceu em Belo Horizonte e tornou-se profissional em 2001, quando foi lançado Abel Braga no Atlético Mineiro. O atacante de boa estatura e muita velocidade, fez sucesso nas categorias de base do Galo, mas não conseguiu desempenhar um bom futebol no time principal e após seis partidas foi vendido ao Orgryte, pequeno clube sueco. Em dois anos, marcou 28 gols e ganhou destaque, conseguindo uma transferência para o Malmo. Logo na sua primeira temporada pelo gigante sueco, já conseguiu ser campeão nacional, mas ainda não era um titular absoluto. Com a saída de alguns atletas titulares, Alves ganhou espaço na temporada seguinte e foi o artilheiro do time no ano com quinze gols anotados. Em 2007, foi vendido ao Heerenveen por cerca de cinco milhões de euros. Pelo clube holandês, o matador viveu a melhor fase de sua carreira, sendo o artilheiro da Eredivisie com incríveis 31 gols em 34 partidas. Tornou-se ídolo da torcida do time, foi eleito o melhor jogador e artilheiro do Campeonato Holandês, e ainda foi convocado por Dunga para disputar alguns amistosos, como o jogo contra o México, no qual marcou um dos gols da vitória de 3x1. Agradando o treinador, integrou o grupo que disputou e foi campeão da Copa América 2007. Após a competição internacional, o brasileiro foi jogar do Middlesbrough, que desembolsou cerca de 20 milhões de euros. Apesar do investimento alto, o clube inglês se decepcionou, já que em duas temporadas Afonso conseguiu marcar apenas dez gols e não teve boas atuações. Com propostas do Catar, Alves jogou por cinco anos no país, tendo grande sucesso no Al-Rayyan., onde foi campeão da Copa do Catar. Em 2015, anunciou que estava se aposentando do futebol, após ser reprovado em exames médicos na Holanda. 

Os gols de Afonso Alves pelo Heereveen

Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

0 comentários: