Top 10 Melhores Jogadores da História da Noruega

10 - Gunnar Thoresen: Ponta direita, era um jogador que reunia muitos atributos, como dribles, visão de jogo, velocidade e faro de gol. Teve 64 internacionalizações e marcou 22 gols. Com a Seleção Norueguesa, Gunnar não conseguiu se classificar para nenhuma Copa do Mundo, mas teve um bom desempenho nas Olimpíadas de 1952. Tornou-se profissional com dezessete anos, jogando pelo Larvik Turn, que antigamente era um grande clube do país, mas hoje está na terceira divisão. O Larvik tornou-se campeão norueguês três vezes em sua história, e nas três vezes Thoresen estava lá, sendo o grande maestro do time e também artilheiro nas temporadas 1952/1953 e 1954/1955. Soma cerca de 240 gols em 291 atuações em sua carreira. Seu filho, Halvar Thoresen, também foi um grande jogador norueguês, tendo muitas partidas pela seleção nacional. Gunnar vive tranquilamente aos 95 anos de idade.


9- Thorbjorn Svenssen: Segundo jogador que mais atuou com a camisa da Seleção Norueguesa, 104 partidas disputadas. Svenssen era um zagueiro de muita força física, velocidade e técnica. Por sua facilidade em sair jogando e pelos passes simples e precisos, era adiantado para jogar como volante em muitas oportunidades. Atuou toda sua carreira em apenas um clube, o Sandfjord. Chegou a duas finais do Campeonato Norueguês e da Copa da Noruega, mas infelizmente saiu derrotado. Terminou sua carreira em 1966, aos 41 anos de idade. Além do futebol, mostrou talento em competições esportivas de patinação e esqui. Faleceu em 2011.


8 - Erik Thorstvedt: Com grande estatura e muita elasticidade, é o goleiro norueguês de maior destaque na história. Começou sua carreira no Viking, mas antes mesmo de jogar pelo time, foi emprestado ao Tonsberg, onde ganhou grande destaque no país ao ser o melhor goleiro da segunda divisão e contribuir muito para o acesso de seu clube. O Viking reintegrou o goleirão ao seu elenco na temporada seguinte, sendo titular e tendo uma excelente performance. Em 1986, foi contratado pelo Borussia Monchengladbach, mas teve poucas oportunidades na equipe alemã e jogou apenas doze partidas. Na próxima temporada, o norueguês acertou com o Goteborg da Suécia, tendo uma brilhante passagem. Novamente recebeu a oportunidade de se destacar em um grande campeonato da Europa, sendo novo reforço do Tottenham. Seu primeiro jogo pelo clube inglês foi um desastre, cometendo uma falha terrível. Passou o resto de seu primeiro ano no banco de reservas, mas recebeu a confiança da diretoria, que apostou no atleta. Quando teve uma nova oportunidade, agarrou-a com uma incrível atuação, e na sequência não saiu mais do time titular dos Spurs. Ficou em Londres até se aposentar, tendo sua maior glória na conquista da Copa da Inglaterra 1991. Retirou-se dos gramados em 1996. Pela Seleção Norueguesa, Thorstvedt disputou a Copa de 1994, sofrendo apenas um gol em três jogos na competição. É o quarto jogador com mais atuações pela Noruega, sendo 97 no total.


7 - Henning Berg: Primeiro jogador a conquistar a Premier League por dois clubes diferentes. Zagueiro de muita técnica e força, iniciou no Valerenga em 1988. Após três bons anos, mostrando ser uma promessa norueguesa, foi para o Lillestrom, ganhando maior destaque nacional com a terceira colocação da equipe no Campeonato Norueguês. Em 1993, foi contratado pelo Blackburn, onde foi deslocado para a lateral direita em muitas oportunidades por ser um defensor habilidoso. Berg tornou-se rapidamente um ídolo para a torcida, que nunca vai se esquecer da temporada 1993/1994, quando o time sagrou-se campeão de sua primeira e única Premier League. Em 1997, foi vendido ao Manchester United por cinco milhões de libras, sendo um recorde na época para um defensor na Inglaterra. Seu início nos "Red Devils" foi sensacional, tendo incríveis atuações nos primeiros dezesseis jogos. Com uma complicada lesão e a chegada de Jaap Stam, o norueguês perdeu a posição no time, mas participou das conquistas da Premier League, Copa da Inglaterra, UEFA Champions League e Mundial de Clubes. No ano seguinte, foi novamente campeão do Campeonato Inglês. No ano de 2000, sabendo que tinha poucas chances de ser titular no United, resolveu retornar ao Blackburn, onde conquistou mais um importante título para o clube, a Copa da Liga Inglesa. Anunciou sua aposentadoria em 2004, tendo sua última passagem no Rangers. Com a Seleção Norueguesa, Berg disputou as Copas de 1994 e 1998, além da Euro de 2000. Em 100 jogos, marcou nove gols por seu país. No momento, Henning é um técnico desempregado, mas teve sucesso recentemente comandando o Legia Varsóvia, time pelo qual conquistou um Campeonato Polonês e uma Copa da Polônia.


6 - Morten Gamst Pedersen: Meia canhoto, tem muita facilidade em bater na bola, sendo um grande passador e lançador, além de um especialista nas bolas paradas. Também é um bom driblador e tem boa finalização com as duas pernas. Iniciou no Tromso, ganhando destaque em 2002, quando foi eleito o melhor jogador do Campeonato Norueguês. Em 2004, o Blackburn havia perdido seu maior destaque, Damien Duff, e contratou o jovem norueguês para ser seu substituto na ponta esquerda. Pedersen foi ainda melhor e mais querido pela torcida que o irlandês Duff, atuando por nove anos pelos "Rovers". Apesar de não conquistar títulos, ajudou a manter a equipe até 2012 na primeira divisão inglesa. Marcou lindos gols com chutes impressionantes tanto com sua perna esquerda como a direita, mas teve seu ápice em 2005, quando em pleno Old Trafford marcou os dois gols da triunfante vitória de 2x1 do Blackburn sobre o Manchester United. Em Agosto de 2013, Morten anunciava sua saída do Blackburn, com quase 300 jogos e 38 gols anotados, e firmava acerto com o Karabukspor. Na Turquia, o meia sofreu com lesões e realizou apenas dez jogos, tendo seu contrato encerrado ao final da temporada. Retornou ao seu país para jogar no Rosenborg, onde conquistou seu primeiro título na carreira, o Campeonato Norueguês de 2015. Na temporada atual, Pedersen está no time que o revelou, o Tromso, encaminhando-se para uma provável despedida dos gramados nos próximos anos. Com a Seleção Norueguesa, Gamst soma 83 aparições e dezessete gols marcados.


5 - Tore André Flo: Atacante de 1,93m, era fatal nas bolas aéreas, mas ao contrário de muitos centroavantes grandalhões e lentos, Flo era veloz e possuía uma certa habilidade, sabendo finalizar bem com os dois pés e driblar. Após passar por pequenos times noruegueses, chegou ao Chelsea, que na época estava na transição para se tornar um grande clube. Rapidamente se tornou ídolo dos "Blues", editando uma dupla de sucesso com o italiano Zola. Marcando gols decisivos, participou das conquistas da Copa da Liga Inglesa 1997/1998, da Copa da Inglaterra 1999/2000 e da Supercopa da UEFA 1998. Viveu sua melhor fase no Chelsea, marcando exatos 50 gols em três temporadas. Por cerca de 21 milhões de dólares (recorde pago a um jogador norueguês até hoje), Flo trocou o Chelsea pelo Rangers. Na Escócia, Tore teve duas boas temporadas, sendo campeão da Copa da Liga e da Copa da Escócia, e marcando 29 gols em 53 partidas. Depois do sucesso no Rangers, Flo rodou por clubes da Europa, como Siena, Sunderland, Valerenga e Leeds, marcando gols decisivos como sempre, mas sem conseguir se firmar. Aposentou-se em 2012, atuando pelo Sogndal. Os irmãos de Tore, Jostein, Kjell, Rune e Jarle, além do primo Havard também foram jogadores famosos na Noruega, porém não tiveram tanto sucesso como o ex-atacante do Chelsea. Com a Seleção Norueguesa, Flo foi a estrela do grupo que disputou a Copa de 1998. Ganhou o apelido de "Flonaldo", porque em dois jogos contra o Brasil venceu os dois e anotou três gols, marca superior a de Ronaldo, que era o melhor jogador do mundo na época e também estava nos confrontos diante da Noruega. Em 76 internacionalizações, anotou 23 gols. Após "pendurar as chuteiras", Tore abriu uma academia de futebol para garotos de cinco a dezessete anos na Noruega.


4 - John Arne Riise: Conhecido por sua raça, pelos chutes fortes de perna esquerda e por ser incansável, Riise é o lateral esquerdo que mais se assemelha a Roberto Carlos. Revelado pelo Aalesunds em 1997, precisou de apenas 25 jogos para chamar a atenção de grandes clubes da Europa. O Monaco, levou a melhor sobre outros interessados e contratou o jovem dinamarquês, que foi peça chame no título do Campeonato Francês 1999/2000. Com o incessante interesse dos maiores clubes do mundo por John e a pressão de seu empresário, o craque exigiu sua saída do Monaco, que vendeu o lateral ao Liverpool por quatro milhões de libras. Foram sete anos na equipe inglesa, vivendo sua melhor fase. Disputou 339 partidas e marcou 30 gols, sua maioria em tiros de longa distância. Teve notável participação na Liga dos Campeões 2004/2005, na qual sagrou-se campeão. Também levantou o troféu da Copa da Liga Inglesa 2002/2003 e da Copa da Inglaterra 2005/2006. Ao perder a titularidade para o brasileiro Fábio Aurélio em 2007, pediu para ser transferido e a Roma levou Riise por três milhões de libras. Na Itália, John teve outra passagem marcante, sem conquistar títulos, mas ganhando a confiança da torcida. Em 133 partidas, anotou nove gols pelo time da capital italiana. Ao final de seu contrato com a Roma, assinou com o Fulham, onde jogaria ao lado de seu irmão mais novo, Bjorn. Em três temporadas pelo time londrino, o norueguês fez boas partidas nas duas primeiras, mas ao cair de rendimento, assim como a equipe que foi rebaixada, teve seu contrato encerrado pelo clube em 2014. Em seguida jogou no APOEL do Chipre, vencendo a Copa e o Campeonato Cipriota. No ano de 2015, jogou pelo Delhi Dynamos o campeonato indiano e no momento está sem clube. Por sua seleção, detém o recorde de jogador que mais atuou, com 110 aparições e dezesseis gols.


3 - John Alieu Carew: Filho de pai gabonês e mãe dinamarquesa, Carew foi o primeiro negro a defender a Seleção Norueguesa. Sua estreia por sua seleção foi em 1998, mas após a Copa do Mundo, torneio que o craque nunca pôde disputar. Marcou 24 gols em 91 partidas. Após passar pelas categorias de base do Lorenskog, time de sua cidade natal, foi contratado pelo Valerenga. Em duas temporadas, destacou-se por ser um atacante acima da média nas finalizações, na força física e na velocidade, mesmo sendo um atacante com 1,95m. Subiu com a equipe para a primeira divisão e conquistou a Copa da Noruega no ano seguinte. O sucesso lhe levou ao Rosenborg, maior vencedor de torneios na Noruega. Jogou apenas dezessete partidas pela nova equipe, marcando incríveis dezoito gols e sagrando-se campeão do Campeonato Norueguês. Cobiçado pelas melhores equipes da Europa, acertou contrato de quatro anos com o Valência em 2000. Fez ótima dupla com o argentino Aimar, sendo peça chave no título do Campeonato Espanhol 2001/2002 e na Liga dos Campeões 2000/2001, onde a equipe foi vice-campeã, perdendo a final para o Bayern nos pênaltis. Em 2003, foi emprestado à Roma, tendo uma temporada irregular. Ao término de seu contrato com o Valência, transferiu-se para o Besiktas, conseguindo obter uma boa performance. Em seguida teve duas temporadas no Lyon, sendo campeão francês da temporada 2005/2006, e logo depois mudou-se para a Inglaterra, para jogar no Aston Villa. Em três anos no clube, foi ídolo da torcida, mostrando muita garra e marcando gols fundamentais. Passou ainda por Stoke e West Ham, ficando sem clube em 2012. Teve próximo de acertar com a Inter de Milão, mas não foi aprovado nos exames físicos e anunciou sua aposentadoria. Atualmente, Carew dedica-se ao Poker e ao cinema, no qual já gravou dois filmes em seu currículo de ator.


2 - Jorgen Juve: Advogado, escritor, jornalista e jogador de futebol, Juve foi o primeiro grande craque norueguês. Nascido em 1906, tornou-se jogador aos 20 anos, defendendo as cores do Lyn Oslo. Permaneceu no clube por doze anos, sendo até hoje um dos maiores ídolos e artilheiros do time que já foi grande, mas que hoje está na terceira divisão norueguesa. Na temporada 1930/1931, foi emprestado ao Basel da Suíça, onde marcou dez gols em doze jogos. Juve é o maior artilheiro da história da Seleção Norueguesa, com 33 gols anotados em 45 atuações. Foi o capitão e craque da maior conquista da história de seu país no futebol, a medalha de bronze nas olimpíadas de 1936, em Berlim. Ao encerrar a carreira, Jorgen treinou o time FK Bodo/Glimt em 1939, sendo vice-campeão da Copa da Noruega. Dedicou-se ao jornalismo esportivo e a seus livros até 1983, quando veio a falecer.


1 - Ole Gunnar Solskjaer: Um dos maiores ídolos da história do Manchester United, era um jogador versátil, que podia jogar como centroavante, ponta ou até segundo atacante. Solskjaer era tecnicamente completo, reunindo ótimos chutes com ambas as pernas, velocidade, habilidade e oportunismo. Iniciou no pequeno Clausenengen, da terceira divisão norueguesa, onde impressionou com a marca de 115 gols em 109 jogos nos quatro anos em que atuou pelo clube nas série C e B do país. Em 1994, foi contratado pelo Molde, onde jogou por duas temporadas, sendo idolatrado rapidamente, e anotou 33 gols. Seu próximo destino foi a Inglaterra, onde assinou contrato com Manchester United por um milhão e meio de euros. A expectativa de todos era de que o norueguês chegasse para ser sombra de Andy Cole e Cantona, sendo introduzido aos poucos no time titular para ganhar experiência, mas quando Gunnar teve suas primeiras oportunidades, agarrou-as e se tornou protagonista em meio a tantos craques. Em sua primeira temporada foram dezoito gols, sendo um atleta fundamental para o título da Premier League. Por opção própria, já que gostava de analisar os pontos fracos do time adversário, muitas vezes começava o jogo no banco de reservas e entrava no meio das partidas. Editando uma dupla de sucesso com Ted Sheringham, marcou o gol to título do Manchester na Champions League 1998/1999 no último minuto de jogo, momento eternizado pelos torcedores dos "Red Devils". Mais títulos da Premier League e da Copa da Inglaterra vieram nos próximos anos, com Solskjaer tendo espaço no time tanto na meia direita, nas pontas ou no ataque, até que em 2003 teve uma séria lesão no joelho direito. Pouco depois de retornar aos gramados, sofreu uma nova lesão de ligamentos no joelho, perdendo mais longos seis meses de tratamento. No ano de 2005, o atacante voltou muito bem, mostrando estar inteiramente recuperado da lesão. Após alguns gols e boas partidas, fraturou o rosto em uma dividida e perdeu o resto da temporada 2005/2006. Nos próximos dois anos, mais duas lesões no joelho o incomodaram, e sem conseguir ter sequências de jogos, anunciou sua despedida dos gramados aos 33 anos. No total, Solskjaer conquistou seis vezes a Premier League com o Manchester United, além de uma Liga dos Campeões e um Mundial de Clubes. Pela Seleção Norueguesa, marcou 23 gols em 64 internacionalizações, e disputou a Copa do Mundo de 1998, sendo o companheiro de ataque de T.A. Flo. Por ser um jogador que mostrava conhecimento tático, foi contratado pelo United para assumir a equipe reserva do clube e ajudar Alex Ferguson com os treinamentos. Mostrando talento para a função, foi contratado para ser técnico do Molde em 2011, conquistando o Campeonato Norueguês duas vezes, e pelo Cardiff em 2014.


Blog C. Fernando

Administrador; 26 anos; Católico; Apaixonado por Eduarda Guidarini; Fanático por futebol; Futebol bonito não é melhor que o eficiente; Penalti não é loteria, mas sim treinamento e competência; Torcedor do Avaí, Real Madrid e Fiorentina.

Um comentário: